Apendicite.com

Inflamação do apêndice intestinal

Etiologia da apendicite

A causa da apendicite é incerta, embora existam várias teorias. A maioria se relaciona à obstrução da luz, que impede o escape das secreções e inevitavelmente leva a um aumento na pressáo intraluminal dentro do apêndice. Isso pode levar à isquemia mucosa subsequente, e a estase fornece um ambiente ideal para o crescimento bacteriano excessivo. As causas potenciais da obstrução são fecálitos, frequentemente devido à constipação, à hiperplasia linfóide ou ao carcinoma cecal.

A obstrução da luz (fecalito, cálculo, tumor, parasitas— Oxyuriasis vermicularis) predispõe ao aumento da pressão intraluminal, lesão isquêmica (exacerbada pelo edema e exsudato) e invasão bacteriana.

A apendicite aguda está relacionada com a obstrução de seu orifício, com distensão secundária da luz e invasão bacteriana da parede. A obstrução mecânica por fecalitos ou material fecal sólido no ceco é demonstrada em um terço dos casos. Ocasionalmente são incriminados alguns tumores, parasitas como Enterobius vermicularis ou corpos estranhos. A hiperplasia linfóide que resulta da infecção bacteriana ou virai (p. ex., por Salmonella ou sarampo) pode obstruir a luz e resultar em apendicite. Entretanto, nenhuma obstrução é demonstrada em até metade dos pacientes com apendicite e o fator que desencadeia a doença nesses pacientes é desconhecido.

À medida que as secreções distendem o apêndice obstruído, a pressão intraluminal aumenta e acaba ultrapassando a pressão venosa, acarretando dessa forma estase venosa e isquemia. Como resultado, a mucosa ulcera e permite a invasão por parte das bactérias intestinais. O acúmulo de neutrófilos produz microabscessos. Curiosamente, a apendicectomia protege contra o surgimento de colite ulcerativa, porém não contra a doença de Crohn.